O que é?

É o nome popular dado a coleta de sangue no calcanhar realizada nos recém-nascidos para a identificação precoce de doenças metabólicas, genéticas e infecciosas que, quando tratadas precocemente possibilitam o desenvolvimento físico e mental adequado às crianças.

Porque fazer?

O Teste do Pezinho é obrigatório e deve ser realizado em, absolutamente, todos os recém-nascidos. Ele existe como um programa de saúde pública para prevenir as complicações e sintomas das doenças investigadas. As doenças investigadas são assintomáticas no período neonatal (0 a 28 dias de vida) e podem levar a deficiência mental ou afetar gravemente a saúde da criança. Tratadas a tempo, a chance de que a doença não leve a sequelas é muito grande melhorando assim a qualidade de vida dos casos confirmados e tratados.

Onde fazer?

O Teste do Pezinho pode ser feito nos Postos de Saúde (Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Saúde da Família) e Centros de Saúde. Essa rede de coleta do SUS conta com mais de 3 mil unidades distribuídas nos 417 municípios do Estado da Bahia. A Apae Salvador também realiza o Teste do Pezinho (SUS, Convênio e Particular) na unidade relacionada abaixo. Unidade Teste do Pezinho End.: Alameda Verona, 32 – Pituba Horário de funcionamento: Segunda à sexta-feira: 7h às 15h30. Sábado: 7h às 11h aos sábados.

A APAE Salvador realiza o Teste do Pezinho desde 1992. Em função da sua experiência e expertise nesta área de Triagem Neonatal, foi credenciada pelo Ministério da Saúde, via portaria Ministerial nº 822 de 06 de junho de 2001 como Serviço de Referência em Triagem Neonatal do Estado da Bahia.

Como é feito no teste do pezinho?

O procedimento consiste em coletar algumas gotas de sangue preferencialmente do calcanhar dos recém-nascidos. Os recém-nascidos com exame alterado são reconvocados para novos exames e avaliação clínica para confirmação diagnóstica. 

Doenças detectadas no exame

Atualmente está incluída a triagem das seguintes doenças:
Hipotireoidismo Congênito (HC), Fenilcetonúria(PKU), Doença Falciforme(DF), Aminoacidopatias (AA), Fibrose Cística(FC), Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC) e Deficiência de Biotinidade(BIO).

Quando fazer?

Reforçando: A coleta deverá ser feita preferencialmente entre o 3° e 5° dia de vida e sempre após 48 horas da primeira amamentação/alimentação do recém-nascido. Não há impedimento para as crianças que passarem do prazo indicado, porém quanto mais cedo realizarmos a coleta mais precocemente será iniciado o tratamento dos pacientes afetados

Diagnóstico

As amostras de sangue são processadas no laboratório por uma equipe composta por Biólogos, Bioquímicos, Biomédicos e técnicos capacitados que acompanham as análises. Os equipamentos utilizados são automatizados, garantindo rapidez, qualidade e eficiência. Após a triagem realizamos exames para confirmação diagnóstica que são de extrema importância para o início precoce do tratamento.

Busca ativa

Os recém-nascidos que têm resultado alterado no Teste do Pezinho, ou seja, fora dos valores de referência, são reconvocados para realizarem exames confirmatórios através do serviço de Busca Ativa.

A Busca Ativa entra em contato com os postos de coleta dos municípios a fim de localizar imediatamente o recém-nascido com suspeita das doenças específicas: Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Doença Falciforme, Fibrose Cística, Aminoacidopatias, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase. O objetivo é trazer esta criança em tempo hábil para a confirmação diagnóstica, introdução do tratamento dos casos confirmados, possibilitando a prevenção das possíveis complicações.

Ambulatório de triagem neonatal

O ambulatório dispõe de equipe multidisciplinar altamente qualificada, responsável pelo tratamento, acompanhamento, orientação familiar e aconselhamento genético dos casos triados e com patologias confirmadas. A existência deste grupo de especialistas permite ao SRTN o atendimento dos pacientes, como também possibilita a assessoria para profissionais de saúde do Estado.

Todo o atendimento no ambulatório é custeado pelo SUS.

Relação dos profissionais da equipe multidisciplinar que compõe o Ambulatório do SRTN:

Exames

Teste do Pezinho – Doenças Triadas pelo SUS

 

Particular e Convênio

 

Perfil Tandem (Particular)

Profissionais da Saúde

O Teste do Pezinho é realizado pela Apae Salvador desde 1992, mas sua ampliação ocorreu em 2001, quando a instituição foi credenciada pelo Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) do Ministério da Saúde. Desde então o SRTN conseguiu, através de ações com as Secretarias Municipais de Saúde e com a da Secretaria Estadual da Saúde, ampliar a rede de coleta composta por postos de saúde, hospitais e maternidades, para que o exame seja oferecido gratuitamente a toda população baiana. No ano de 2007 um marco importante foi que a cobertura da coleta alcançou os 417 municípios da Bahia e já alcançamos uma cobertura de mais de 85% dos recém-nascidos vivos do Estado.

Entre as doenças diagnosticadas no Teste do Pezinho do SUS, para todos os recém-nascidos destaca-se o Hipotireoidismo Congênito (HC), a Fenilcetonúria (PKU), a Doença Falciforme(DF), as Aminoacidopatias(AA) e desde 2013 o diagnóstico de Fibrose Cística(FC). Em 2014 fomos habilitados na Fase IV do PNTN com a inclusão da Triagem para mais duas doenças: Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC) e Deficiência de Biotinidade (BIO).

O SRTN é responsável pela triagem, diagnóstico, tratamento e acompanhamento da maioria dos pacientes diagnosticados pelo Teste do Pezinho, prevenindo, por exemplo a deficiência intelectual (provocado por HC e PKU) e melhorando a qualidade de vida dos indivíduos com Doença Falciforme, e Aminoacidopatias. Os casos com suspeita de Fibrose Cística são encaminhados, por meio, da Apae Salvador para atendimento no serviço de Referencia de Fibrose Cística do Estado da Bahia que funciona no Hospital Especializado Otavio Mangabeira que é responsável em realizar os exames para diagnosticar e tratar os casos confirmados. O SRTN é também responsável em diagnosticar e tratar as doenças da Fase IV que são a Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase.

O SRTN conta com uma equipe multidisciplinar que oferece assistência médica e laboratorial continuada aos pacientes confirmados. Esta assistência consiste no acompanhamento ambulatorial dos pacientes e ainda na orientação adequada aos médicos e outros profissionais de saúde dos municípios. Com isso visamos melhorar ainda mais a assistência a estes pacientes e a qualidade de vida das crianças e de suas famílias.

Manual da Triagem Neonatal