Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme

Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme
19/06/2018

O dia 19 de junho é marcado no calendário de saúde como o Dia Mundial de Conscientização sobre a Doença Falciforme. A doença, que pode ser diagnosticada precocemente através do Teste do Pezinho, provoca um conjunto de distúrbios que causam a deformação e destruição dos glóbulos vermelhos, reduzindo sua capacidade de transportar oxigênio para as várias partes do corpo com agravos à saúde. As sequelas podem ser minimizadas se o tratamento for rapidamente iniciado, por isso é tão importante realizar o exame, preferencialmente entre o 3º e o 5º dia de vida. Na Bahia, a incidência é de 1 caso para cada grupo de 670 nascidos vivos e, em Salvador, 1 para cada 455.

 

O Serviço de Referência em Triagem Neonatal da Apae Salvador, além da triagem para doença falciforme realiza o atendimento ambulatorial multiprofissional pelo SUS de crianças com Doença Falciforme diagnosticadas pelo Teste do Pezinho. Segundo a médica geneticista e Diretora Médica da Apae Salvador, Helena Pimentel, a doença falciforme é uma doença crônica, de origem genética, que manifesta seus primeiros sinais geralmente a partir dos seis meses de vida. A especialista assegura que, com assistência médica adequada, logo após o nascimento, os portadores podem viver com melhor qualidade de vida.

 

Tratamento especializado

Desde a implantação do Programa Nacional de Triagem Neonatal na Bahia, a Apae Salvador já atendeu mais de 4 mil crianças com doença falciforme. Ainda de acordo com Helena Pimentel, os primeiros cinco anos são fundamentais na fase de tratamento e explica que a anemia é um dos sintomas da doença. “A doença falciforme pode se manifestar de forma diferente em cada indivíduo. Uns tem apenas alguns sintomas leves, outros apresentam sinais e sintomas de maior gravidade. Os sintomas geralmente aparecem na segunda metade do primeiro ano de vida da criança”, alerta. Os pacientes geralmente apresentam um quadro clínico de anemia crônica, febre, crises álgicas (de dor) e hemolíticas.

 

A Apae Salvador mantém um ambulatório interdisciplinar de atenção à criança com doença falciforme, composto de pediatra, hematologista pediátrico, assistente social, psicólogo, odontólogo e nutricionista. O Centro de Diagnóstico e Pesquisa (Cedip) da Apae presta um atendimento que visa acolher e orientar as famílias sobre a doença e inicia as ações de saúde necessárias a fim de melhorar a qualidade de vida das crianças que tem esta doença genética. O Serviço de Referência em Triagem Neonatal da Apae Salvador realiza este trabalho pelo SUS em parceria com o Ministério da Saúde, SESAB e as Secretarias Municipais de Saúde de todos os 417 municípios.