Gerência de Educação Especial

A Gerência de Educação Especial é responsável por toda a parte educacional, e o ingresso da criança/ adolescente se dá através do contato inicial com o Serviço Social, ação conhecida como “Portas Abertas”:

Todas as terças-feiras, a partir das 07h 30 para atendimento à comunidade. A família interessada em inserir seu(ua) filho (a) num dos projetos educacionais da comparece trazendo o menor, munida de documentos de identificação e relatório ou solicitação médica/ escolar (se houver). A assistente social realiza o acolhimento da família, escutando sua demanda e avaliando se é compatível com os serviços aqui oferecidos.

Atuação do Serviço Social do CEDUC– projetos

Pais Apoio

Trata-se de um grupo formado por pais de alunos que já superaram o impacto do momento da notícia, e foram capacitados para atuar junto aos pais recentes de crianças com deficiência. Essa atuação acontece nas maternidades públicas e/ou domicílio, por meio de escuta e orientação. O projeto de imediato articula-se aos profissionais de saúde da instituição, oferecendo consultas com pediatra, neuropediatra, estimulação precoce, além de atendimento com assistente social e psicólogo.

Objetivos:

  • Possibilitar o início da reconstrução de aspectos prejudicados na relação pais x filhos;
  • Oferecer elementos de sustentação através da identificação entre eles, não com o saber científico, mas com a história de pessoas que vivenciaram experiências semelhantes.

Geração De Renda

Cursos de capacitação profissional de curta duração destinados preferencialmente às mães e/ou responsáveis que permanecem no espaço institucional, no período em que o educando está na escola. Objetivo: criar alternativas para geração de renda, elevação da auto-estima e desenvolvimento do potencial de trabalho das famílias.

Parceria:

  • SENAC

Fazer E Acontecer

São encontros mensais com familiares dos educandos, cujo propósito é buscar o crescimento individual e grupal, através de uma prática interativa e prazerosa, onde todos tenham oportunidades de participar e se expressar livremente. O projeto, que integra diversas atividades sócioeducativas com temas de interesse geral, inclui ações como palestras, seminários, oficinas, feiras de artesanato, feiras de saúde etc.

Objetivo:

  • suscitar reflexões acerca da importância dos valores humanos para fortalecimento das relações sociais e pleno exercício da cidadania.

Centro Educacional Especializado

O Centro Educacional Especializado (Ceduc) integra programas e projetos de educação especial na perspectiva da educação inclusiva, desenvolvendo um trabalho voltado para as especificidades da pessoa com deficiência intelectual, valorizando e respeitando a diversidade; atua de acordo com os documentos e princípios normativos da educação especial na perspectiva inclusiva (A exemplo da Declaração de Salamanca-1994, Resolução nº 04, de 02 de outubro de 2009, do Conselho Nacional de Educação, e na Resolução nº 79, de 15 de setembro de 2009, do Conselho Estadual de Educação da Bahia – que instituem, respectivamente, as Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial, e normas para a Educação Especial, na Perspectiva da Educação Inclusiva para todas as etapas e Modalidades da Educação Básica no Sistema Estadual de Ensino da Bahia e fundamenta-se na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN/96). A proposta do Ceduc está estruturada em três vertentes: Programa de Apoio à Inclusão Escolar, Projeto de Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Projetos Especiais: Aprendizagem para a Vida e Intervenção Pedagógica. Há, ainda, a articulação entre a área educacional e o Serviço Social em projetos voltados às famílias dos alunos atendidos.

Programa de Apoio à Inclusão escolar

O Programa é uma iniciativa da Apae Salvador para acompanhar e favorecer o processo de inclusão de nossos alunos nas escolas comuns da rede regular de ensino. A partir de 2006, com o fortalecimento do movimento de inclusão, houve uma verdadeira ressignificação da proposta educacional do Ceduc, com a organização do Atendimento Educacional Especializado – AEE. Ciente do compromisso da instituição em difundir o conhecimento construído, como forma de contribuir para a educação inclusiva, o Programa de Inclusão, realiza diversas ações junto aos educadores das escolas que recebem alunos com deficiência intelectual, matriculados na Apae Salvador, em suas classes – as chamadas escolas parceiras. As principais são:

Visitação: encontro na unidade escolar para escuta, apresentação da proposta e formalização da parceria com a escola visitada.

Capacitação em serviço: encontro com a equipe pedagógica da escola, para realização de ação de formação voltada à prática pedagógica na perspectiva inclusiva.

Oficina de mobilização: ação lúdica e integrativa junto à turma na qual o aluno com deficiência está inserido, para abordar – usando estratégias e recursos dinâmicos e compatíveis com a faixa etária - a convivência na diversidade.

O Programa mantém um calendário anual fixo de formação docente, com 04 ações:

Seminário para gestores: encontro realizado anualmente, sempre no primeiro quadrimestre do ano, para formalização da parceria junto às escolas, através da divulgação da proposta de apoio. Inclui também palestra com tema de interesse à gestão escolar na perspectiva inclusiva.

Oficina pedagógica: 02 encontros anuais com carga horária de 04h cada, com atividades práticas voltadas à práxis pedagógica inclusiva, com atividades vivenciais, elaboração de materiais, análise de situações e momentos de socialização de experiências entre os docentes.

Workshop de práticas inclusivas: encontro anual, sempre no último trimestre do ano, no qual as escolas parceiras têm a oportunidade de apresentar seus relatos de práticas inclusivas.

AEE: atende alunos que estão incluídos nas escolas comuns da rede regular de ensino.

Grupos organizados por faixa etária;

Atendimento 3 vezes por semana (segundas, terças e quintas);

Formato de oficinas (expressão corporal, artística e cultural; oficina do brincar, AVAS – atividades da vida autônoma e social; oficina de jogos e pensamento lógico; oficina de comunicação e linguagem, informática educativa; artes visuais).

Programas Especiais

Aprendizagem para a Vida: atende alunos que não estão incluídos nas escolas.

Grupos organizados por faixa etária;

Atendimentos -  quatro vezes por semana

Foco na aquisição de habilidades que tenham função para a vida, com base nos princípios do currículo funcional natural.

Intervenção Pedagógica: atende alunos que frequentam ou não a escola comum e que apresentam significativas dificuldades nas rotinas educacionais em função de seus comprometimentos.

Atendimento individual, em duplas ou trios;

Tempo diferenciado;

Apoio da psicologia;

2 vezes por semana;

Ênfase à estimulação sensorial, organização da rotina e aquisição de condutas socioadaptativas que promovam maior independência e autonomia.